Você está aqui: Página Inicial > Defesas > Mestrado - Márcio Eduardo Zuba
conteúdo

Mestrado - Márcio Eduardo Zuba

por rltorres publicado 18/03/2019 17h40, última modificação 19/03/2019 15h12
A energia elétrica como instrumento de desenvolvimento humano e o desafio ao plano nacional de energia brasileiro
Quando
08/02/2017
de 09h00 até 12h00
(America/Sao_Paulo / UTC-200)
Onde
Sede Central: Sala A-302
Pessoa de contato
Profa. Marília de Souza
Participantes
Profa. Marília de Souza, Dr.a – Orientadora UTFPR
Prof. Décio Estevão do Nascimento, Dr. – Co-orientador UTFPR
Banca examinadora:
Profa. Marília de Souza, Dra. – Presidente UTFPR
Prof. Christian Luiz da Silva, Dr. – UTFPR
Prof. Mariano de Matos Macedo, Dr. – UFPR
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: Este trabalho tem por objeto de estudo a correlação entre utilização per capita de energia elétrica e desenvolvimento humano. O objetivo geral da pesquisa é avaliar a compatibilidade das premissas do Plano Nacional de Energia brasileiro, em relação à utilização de energia elétrica, com o desafio da elevação do IDH brasileiro ao nível “muito alto” – o mais elevado conforme a terminologia atual das Nações Unidas. Quanto ao método, a pesquisa é, em relação aos seus objetivos, preponderantemente descritiva, e quantiqualitativa no que se refere ao estudo do problema, com o tratamento estatístico de diferentes aspectos correlacionados à energia elétrica e ao IDH, de modo a estabelecer padrões significativos e universais dessa correlação. Esses padrões parecem possíveis de serem previstos mediante utilização de fórmula matemática, a qual tornaria então possível avaliar o desenvolvimento humano utilizando a energia elétrica como parâmetro. À medida que os países se desenvolvem em termos econômicos e humanos, a intensidade da correlação entre energia e desenvolvimento tende a ser atenuada, algo que está diretamente vinculado à existência de pontos de saturação na utilização produtiva de energia, variáveis em função do estado da arte. Verificou-se ainda que a proporção da utilização de energia elétrica é cada vez mais intensa em relação ao total de utilização de energia primária, o que se explica pela absoluta indispensabilidade, motivada pela versatilidade e disponibilidade, da primeira. Observou-se também a necessidade de se desvincular a energia elétrica das fontes fósseis não renováveis, pois, além da questão ambiental, a exploração dessas fontes pode estar próxima, em termos históricos, da inviabilidade, o que sugere que o ponto de início da transição da matriz energética pode já ter sido transposto, ao menos em alguns casos. Tudo considerado, definiu-se um valor objetivo mínimo à utilização per capita de energia elétrica, ponderado em função da intensidade energética, necessário ao status de desenvolvimento humano “muito alto”. Definiram-se ainda duas fórmulas capazes de individualmente estimar, em função do valor de utilização de energia e compondo uma base comparativa global, o IDH correspondente do ente analisado. A primeira delas possui maior versatilidade descritiva, pois envolve equação logarítmica, enquanto a segunda, simplificada, utiliza função potência. Concluiu-se que ambas são capazes de auxiliar na compreensão, ainda que em cognição preliminar, acerca da situação energética do ente sob análise, podendo ser utilizadas como indicador de possíveis direcionamentos de políticas energéticas que se pretendam voltadas ao desenvolvimento humano. Finalmente, mediante a fórmula logarítmica, verificou-se quão compatíveis são o Plano Nacional de Energia e o IDH “muito alto”, em médio prazo e tendo como cenário os estados brasileiros.
Palavras-chave: Energia elétrica. Desenvolvimento humano. Correlação. Intensidade energética. Política energética brasileira.

Electrical energy as a tool for human development and the challenge to the Brazilian energy plan

Abstract This work studies the correlation between the per capita use of electrical energy and human development. The main research objective is to evaluate the compatibility between the Brazilian energy policies premises, regarding the use of electrical energy, and the challenge of increasing the national HDI towards the “very high” level – the highest one according to the current United Nations terminology. As for the method, the research is, regarding its objectives, predominantly descriptive, and quanti-qualitative in relation to the problem studied, dealing with several statistical aspects correlated to electrical energy and HDI, in such a way as to define significant, universal patterns of this correlation. These patterns seem to be possible to predict via a mathematical formula, which would then make it possible to evaluate human development using electrical energy as a parameter. As countries develop humanly and economically, the intensity of the correlation between energy and development gets weaker, something that is directly linked to the existence of saturation points in the productive use of energy and that varies according to the state of the art. It was also noted that the proportion of electrical energy is increasingly bigger in relation to the total amount of primary energy, something explained by the absolute indispensability, through versatility and availability, of the former. A need for breaking the link between electrical energy and fossil fuel sources was also observed – besides the environmental questions, exploration of these sources may be close, in historical terms, to the infeasibility, which suggests that the point of transition to a different energy matrix, at least in some cases, can have been left behind already. All things considered, an objective minimum per capita value of electrical energy use, weighted as a function of energy intensity, was defined as necessary to reach a “very high” HDI. Besides it, two formulae were developed, both capable of individually estimate an entity’s HDI from the weighted value of electrical energy use. The first of them is more descriptively versatile, by using a logarithmic equation, while the second one is a simplified version, based on a potency function. It was concluded that both are capable of helping, yet in a preliminary cognition, to understand the energetic situation of the entity under analysis, possibly serving as decision support for energy policies aiming at human development. Finally, by using the logarithmic formula, it was checked how compatible are the Brazilian Energy Plan and a “very high” HDI, on the medium term and on the framework of the Brazilian states.
Keywords Electrical energy. Human development. Correlation. Energy intensity. Brazilian energy policy.

Lista de publicações:

ZUBA, M. E.; PERON, A. C. P.; SILVA, M. V. G.; NASCIMENTO, D. E.; SOUZA, M. A utilização da internet como instrumento para o controle social e para a transparência na Administração Pública pós-1988: relato da Administração Pública de Curitiba. In: Congresso Internacional de Administração – 2015, Artigos Selecionados, Ponta Grossa – PR, 2015. 

ZUBA, M. E.; CATAPAN, A.; SILVA, M. V. G.; SOUZA, M. A brief study on the economic and technical feasibility of a small biomass power plant – the case of Morretes, Paraná, Brazil. In: Dias da Investigação na UFP 2016. Porto, Universidade Fernando Pessoa, 2016 (UFP Research Days, Fernando Pessoa University, 2016). 

BARAN, K. P.; ZUBA, M. E.; VICENTIN, I. C. A importância da interação entre Universidade, Governo e iniciativa privada para o fomento da Inovação – Uma breve análise histórica dos modelos estadunidense e brasileiro. In: Esocite 2016. XI Jornadas Latino-Americanas de Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia. Curitiba. Anais Eletrônicos Esocite, 2016. 

SANTOS, J. G.; ZUBA, M. E.; NASCIMENTO, D. E.; CATAPAN, A. A contribuição das fontes de energia renováveis para a construção de cidades digitais inteligentes: uma breve análise do contexto brasileiro. Espacios (Caracas), v. 37, p. 12, 2016.