Você está aqui: Página Inicial > Defesas > Mestrado - Rodrigo de Freitas
conteúdo

Mestrado - Rodrigo de Freitas

por dirppg-ct publicado 16/08/2019 14h15, última modificação 16/08/2019 14h15
A Inteligência Coletiva na Bioinformática: uma Revisão Sistemática da Literatura
Quando
06/09/2019
de 16h00 até 19h00
(America/Sao_Paulo / UTC-300)
Onde
Sede Central: Sala B-205
Participantes
Prof. Alexandre Reis Graeml, Dr. Orientador - UTFPR
Banca examinadora:
Prof. Alexandre Reis Graeml, Dr. Presidente - UTFPR
Prof. Jurandir Peinado, Dr. - UTFPR
Profa. Rita Cristina Galarraga Berardi, Dra. - UTFPR
Prof. Paulo Sergio Macuchen Nogas, Dr. - PUC-PR
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: Com o avanço da tecnologia da informação, tem aumentado a aplicação de recursos tecnológicos à pesquisa nas mais diversas áreas do conhecimento. Isto não é diferente na biotecnologia, a ponto de ter surgido um segmento específico denominado bioinformática. Uma das formas como a tecnologia da informação está revolucionando o modo de se fazer ciência é pela maneira como ela contribui para conectar pesquisadores, estimulando a produção de conhecimento a partir da inteligência coletiva. Faz-se necessário entender como a inteligência coletiva viabilizada pela conectividade proporcionada pela Web 2.0 vem sendo aplicada no segmento da bioinformática, buscando pontuar os benefícios e dificuldades de tal adoção para o desenvolvimento da área. A presente pesquisa buscou mapear os trabalhos científicos que tratam do uso de tecnologias da informação, com ênfase para a Internet, para fomentar a inteligência coletiva e obter resultados de pesquisas em biotecnologia que não seriam possíveis sem os esforços coordenados de contingentes de pesquisadores. Na busca do entendimento da relação entre Web 2.0 e bioinformática foi realizada uma revisão sistemática da literatura a partir de uma busca no GoogleScholar dos trabalhos que abordam a temática. O estudo teve uma visão epistemológica positivista, descritiva e de caráter quantitativo. A pesquisa consistiu na análise de vinte e dois trabalhos que atenderam os critérios de inclusão no corpus da pesquisa, os quais foram classificados com base na temática principal e na temática secundária (ou acessória), conforme a preocupação e o foco dado pelos autores aos trabalhos. Como resultado, foram obtidas seis categorias de interesse, sendo elas integração de dados, pesquisa colaborativa, serviço web, catálogo de dados, disciplina web e web semântica. A grande maioria dos trabalhos demonstrou interesse, principal ou secundário, por integração de dados, pesquisa colaborativa ou serviços web, que representaram 82% das temáticas tratadas e evidenciam as principais contribuições que a Web 2.0 trouxe para a pesquisa em biotecnologia. Tal resultado mostra que os pesquisadores veem com grande atenção a utilização da inteligência coletiva em estudos da área, preocupando-se com a integração de grandes bases de dados, acessíveis e com boa qualidade, estimulando a pesquisa colaborativa e o engajamento dos pesquisadores. O desenvolvimento de serviços web por meio de ferramentas que facilitem e reforcem a inteligência coletiva no campo da bioinformática também mereceu atenção. A pesquisa revela que os recursos tecnológicos que facilitam o surgimento da inteligência coletiva têm proporcionado ganhos significativos para estudos da área de biologia, consolidando-se a web 2.0 e os seus possíveis desdobramentos em uma web semântica, como recursos imprescindíveis ao desenvolvimento de pesquisa colaborativa na área.

Palavras-chave: Web 2.0; bioinformática; Inteligência coletiva.

 

Collective Intelligence in Bioinformatics: A Systematic Review of Literature.

Abstract: With the advancement of information technology, the application of technological resources to research in the most diverse areas of knowledge has increased. This is no different in biology, to the extent that a specific field called bioinformatics has emerged. One of the ways in which information technology is revolutionizing the way science is done is by contributing to the connection of researchers, by stimulating the production of knowledge based on the collective intelligence of a large group of people. It is necessary to understand how the collective intelligence achieved as a result of the connectivity provided by Web 2.0 is being applied in the bioinformatics field, seeking to point out the benefits and difficulties of such adoption for the progress of research. The objective of this work is to map scientific papers that discuss the use of information technologies, with special emphasis to the Internet, to foster collective intelligence and to obtain better results from bioinformatics research that would not be possible without the coordinated efforts of researchers through the web. In order to understand the relationship between Web 2.0 and bioinformatics, a systematic literature review was performed based on a research corpus obtained from a GoogleScholar search of papers that address the theme. The study had a positivist, descriptive and quantitative epistemological view. The research consisted of the analysis of twenty-two papers that met the inclusion/exclusion criteria to be considered, which were classified based on the main theme and the secondary (or accessory) theme, according to the concern and focus given by the authors to the papers. As a result, six categories of interest were obtained, namely data integration, collaborative research, web service, data catalog, web discipline and semantic web. The majority of the studies showed interest (main or secondary) in data integration, collaborative research or web services, which represent 82% of the addressed themes, and highlight the main contributions that Web 2.0 has brought to bioinformatics research. This result shows that researchers pay close attention to the use of collective intelligence in studies of the field, worrying about the integration of large, accessible and good quality databases, stimulating collaborative research and the engagement of researchers. The development of web services through tools that facilitate and reinforce collective intelligence in the field of bioinformatics also deserved attention. The research reveals that the technological resources that facilitate the emergence of collective intelligence have provided significant gains for biology studies, consolidating web 2.0 and its possible developments in a semantic web, as indispensable resources for the development of collaborative research in the field.

Keywords: Web 2.0; Bioinformatics; Collective Intelligence