Você está aqui: Página Inicial > Defesas > Mestrado - Matheus Hermann Dos Santos
conteúdo

Mestrado - Matheus Hermann Dos Santos

por Gisele Daiane Silveira Borges publicado 18/02/2021 17h16, última modificação 18/02/2021 17h16
Caracterização Morfoagronômica e Molecular de Variedades de Tomateiro em Sistemas de Base Ecológica e Ambientes Contrastantes
Quando
26/03/2021
de 14h00 até 18h00
(America/Sao_Paulo / UTC-300)
Onde
Online: Link será disponibilizado em breve
Participantes
Prof. Dr. Thiago De Oliveira Vargas - Presidente - UTFPR
Prof. Dr. Antonio Carlos De Souza Abboud - UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ)
Prof. Dr. Giovani Olegario Da Silva - EMBRAPA
Adicionar evento ao calendário
iCal

Área de Concentração: Produção Vegetal

Linha de Pesquisa: Horticultura

Resumo: A tomaticultura orgânica mostra-se em expansão atualmente movida pela preocupação dos consumidores por produtos mais saudáveis, de qualidade e de baixo risco á saúde. Sabe-se historicamente que o tomate possui uma base genética estreita ocasionada pela síndrome da domesticação. O cultivo orgânico de tomate constitui grande desafio aos produtores, visto à alta quantidade de pragas e doenças incidentes na cultura e a carência de genótipos disponíveis com bons potenciais produtivos, qualidade de fruto superior, que sejam adaptados aos cultivos agroecológicos, as condições edafoclimáticas do sudoeste do Paraná e as diferentes condições de cultivo. Uma possível fonte de variabilidade genética para suprir essas demandas pode ser encontrada nas variedades tradicionais de polinização aberta. Com isso, o objetivo do trabalho foi caracterizar a diversidade morfoagronômica e molecular de variedades crioulas de tomate do tipo polinização aberta em estufa e campo aberto por meio descritores padronizados e marcadores moleculares SSR, visando gerar informações que auxiliem na seleção das mais promissoras para iniciar um programa de melhoramento. O trabalho foi conduzido nas instalações do câmpus e da área experimental da UTFPR Pato Branco em delineamento de blocos ao acaso com quatro repetições. Avaliou-se a diversidade morfoagronômica de 9 variedades de tomate de mesa dos grupos santa cruz, salada e saladinha, por meio de 39 descritores qualitativos e quantitativos de fruto, de planta e de produtividade através de mensurações, escalas de notas e análises físico-químicas de frutos. A variabilidade genética, por sua vez foi analisada com base em 13 marcadores moleculares SSR de alta informação polimórfica. Os dados quantitativos de fruto foram submetidos à análise de variância e teste de comparação de médias em esquema fatorial e os dados gerais a análises multivariadas de componentes principais. A anova mostrou diferenças significativas para o efeito de genótipo, ambiente e interação para a maioria dos caracteres avaliados, exceto para DCP e NL para efeito de ambiente. Os caracteres relacionados à produção comercial de frutos, exceto MMFC mostraram-se superiores para a maioria das variedades cultivadas em estufa. Nesse sentido, JB obteve os melhores desempenhos para PFC e NFC nos dois ambientes, enquanto CB apresentou elevada PFNC e MMFC em estufa. Em campo aberto, RQ apresentou a maior PFNC e GM a maior MMFC. A variedade SC obteve alta PFC e NFC em campo aberto, enquanto YM, KG, e SC somadas a JB, destacaram-se pela alto NFT. As variedades cultivadas em estufa mostraram valores superiores para os parâmetros de qualidade, exceto para as variáveis DCP, FM e AT. A variedade SB obteve maior CLF nos dois ambientes, enquanto CB e GM obtiveram maiores DEF. GM obteve os maiores DCP e CB maiores NL, e esses dois juntos maiores MF. Para FM, destacou-se JB nos dois ambientes. As variedades BC e GM apresentaram frutos mais doces, em estufa e campo aberto respectivamente. Já, RQ e YM apresentaram valores superiores de AT nesses ambientes, respectivamente. Os frutos de SC destacaram-se pela alta relação SS/AT nos dois ambientes, devido a sua elevada doçura e reduzida acidez. Com base nesses parâmetros, JB pode ser selecionado para ser cultivado nos dois ambientes, apesar da sua reduzida qualidade organolética de fruto. SC pode ser selecionada para o cultivo em campo aberto, com vantagem de apresentar qualidade de fruto superior. As variedades GM e CB são indicadas para mercados que buscam frutos grandes, com GM sendo mais indicado para o cultivo em campo. Já KG e YM são indicados para mercados que preferem frutos pequenos, porém sem grandes exigências quanto à qualidade. Os resultados desse trabalho possibilitaram incrementar a diversidade genética do BAGT da UTFPR Pato Branco visando à obtenção de variedades de tomateiro adaptadas ao cultivo agroecológico, as diferentes condições de cultivo e as condições edafoclimáticas do sudoeste do Paraná.

Palavras-chaves: Tomate - Melhoramento genético, Descritores morfológicos, marcadores genéticos, produção de base ecológica, variabilidade genética.

 

Morphoagonomic And Molecular Characterization Of Tomato Varieties In Base Systems Ecological And Contrasting Environments

Abstract: Organic tomato is currently expanding, driven by consumers' concern for healthier, quality products with low health risk. It is historically known that tomatoes have a narrow genetic base caused by the domestication syndrome. Organic tomato cultivation is a major challenge for producers, given the high amount of pests and diseases affecting the crop and the lack of available genotypes with good yield potential, superior fruit quality, which are adapted to agro-ecological crops, the southwestern edaphoclimatic conditions Paraná and the different cultivation conditions. A possible source of genetic variability to meet these demands can be found in traditional open pollinated varieties. With this, the objective of the work was to characterize the morpho-agronomic and molecular diversity of creole varieties of tomato of open pollination type in greenhouse and open field by means of standardized descriptors and SSR molecular markers, aiming to generate information that helps in the selection of the most promising ones to start a breeding program. The work was carried out at the campus and experimental facilities of UTFPR Pato Branco in a randomized block design with four replications. The morpho-agronomic diversity of 9 varieties of tomato from the Santa Cruz, salad and salad groups was evaluated using 39 qualitative and quantitative descriptors of fruit, plant and productivity through measurements, scales of notes and physical-chemical analyzes. of fruits. Genetic variability, in turn, was analyzed based on 13 SSR molecular markers with high polymorphic information. The quantitative data of the fruit were submitted to analysis of variance and test of comparison of means in a factorial scheme and the general data to multivariate analyzes of main components. The annova showed significant differences for the effect of genotype, environment and interaction for most of the evaluated characters, except for DCP and NL for effect of environment. The characters related to commercial fruit production, except MMFC, were superior for most varieties grown in greenhouses. In this sense, JB obtained the best performances for PFC and NFC in both environments, while CB presented high PFNC and MMFC in the greenhouse. In the open field, RQ had the highest PFNC and GM the highest MMFC. The SC variety obtained high PFC and NFC in the open field, while YM, KG, and SC added to JB, stood out for their high NFT. The varieties grown in greenhouses showed higher values for quality parameters, except for the variables DCP, FM and AT. The SB variety had the highest CLF in both environments, while CB and GM had the highest DEF. GM obtained the largest DCP and CB largest NL, and those two together largest MF. For FM, JB stood out in both environments. The BC and GM varieties showed sweeter fruits, in greenhouse and open field, respectively. Already, RQ and YM showed higher values of AT in these environments, respectively. The SC fruits stood out for their high SS / AT ratio in both environments, due to their high sweetness and reduced acidity. Based on these parameters, JB can be selected to be grown in both environments, despite its reduced organoleptic quality of fruit. SC can be selected for open field cultivation, with the advantage of having superior fruit quality. GM and CB varieties are indicated for markets that seek large fruits, with GM being more suitable for field cultivation. KG and YM are indicated for markets that prefer small fruits, but without great demands on quality. The results of this work made it possible to increase the genetic diversity of the UTFPR - Pato Branco BAGT aiming to obtain tomato varieties adapted to agroecological cultivation, the different cultivation conditions and the edaphoclimatic conditions of southwest Paraná.

Keywords: Tomato - Genetic improvement, morphological descriptors, genetic markers, ecological production, genetic variability.