Você está aqui: Página Inicial > Defesas > Mestrado - Gabriela Bastos Cordeiro Tremba
conteúdo

Mestrado - Gabriela Bastos Cordeiro Tremba

por dirppg-ct publicado 06/07/2020 09h43, última modificação 06/07/2020 09h43
O espaço urbano em Carolina Maria de Jesus: o eterno retorno ao quarto de despejo
Quando
11/08/2020
de 14h00 até 17h00
(America/Sao_Paulo / UTC-300)
Onde
Via videoconferência
Pessoa de contato
Prof. Rogério Caetano de Almeida, Dr.
Participantes
Orientador(a): Prof. Rogério Caetano de Almeida, Dr. - UTFPR
Banca examinadora:
Presidente: Prof. Rogério Caetano de Almeida, Dr. - UTFPR
Prof. Brunilda Tempel Reichmann, Dra. - UFPR
Prof. Márcio Matiassi Cantarin, Dr. - UTFPR
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: A literatura permite um olhar para o mundo através do olhar do outro, por isso encanta, mas, principalmente, incomoda. Assim, os escritos das décadas de 1950 e 1960 de Carolina Maria de Jesus, uma mulher negra, pobre, que estudou formalmente apenas até o segundo ano do primário (atual Ensino Fundamental) são de fundamental relevância para o entendimento de algo que ocorre até hoje: a periferização e consequente exclusão das camadas mais pobres da população. Em seus diários publicados parcialmente no livro Quarto de Despejo: diário de uma favelada, a escritora descreve o cotidiano árduo vivido na antiga favela do Canindé, em São Paulo, capital. Por meio desses registros, é possível compreender os aspectos perversos do modelo de urbanização paulista, inspirado nas reformas higienistas europeias do século XIX. A história da autora tem continuidade no segundo livro-diário Casa de Alvenaria: diário de uma ex-favelada, o qual narra a saída de Jesus da favela e sua nova rotina habitando a cidade. Diante disso, busca-se compreender nas obras de que maneira se deu a ocupação do espaço geográfico e quais foram as suas consequências. Para tanto, são consultados teóricos da Geografia e do Urbanismo, como David Harvey, Milton Santos, Ermínia Maricato e Raquel Rolnik. A biografia de Jesus também é explorada, uma vez que os livros aqui analisados tem origem em diários pessoais. Também nesse sentido, procura-se compreender a relação entre literatura, memória e realidade sob a luz de estudiosos como Philippe Lejeune e Henri Bergson. Há ainda um breve estudo a respeito de como o fato da autora apresentar condições de subalternidade reverbera na repercussão de seus livros, além de considerações concisas sobre o papel do editor nisso tudo. Como resultado, verificou-se que as obras de Carolina Maria de Jesus são representativas de um processo excludente de urbanização que se perpetua até a atualidade por meio de mecanismos práticos e, principalmente, ideológicos.
Palavras-chave: Carolina Maria de Jesus; espaço geográfico; urbanização; literatura; exclusão.

The geographical space in Carolina Maria de Jesus literary works: a perpetual regress to the slum
Abstract: Literature allows us to look at the world through the eyes of others. It dazzles us, but above all, it is an important political tool. Written in the fifties and sixties, the literary works of Carolina Maria de Jesus - who was a poor, black woman, and whose formal studies did not go beyond the second year of elementary school - are of fundamental relevance for understanding something that still occurs to this day: the marginalization of the poorest segments of the population. In her diaries, published partially in her book 'Quarto de Despejo: diário de uma favelada', the writer describes the hardships of the daily life in the old favela (slums) of Canindé, in the capital São Paulo. Through these records, it is possible to understand the perverse aspects of São Paulo's urbanization model which was, in turn, inspired by the 19th century European hygienist reforms. The author's story continues in her second journal titled 'Casa de Alvenaria: Diario de uma ex-favelada', an account of Jesus leaving the favelas and her new life in the city. With that in mind, we seek to understand how the urbanization process and its consequences are represented in her works. We have consulted academic experts on Geography and Urbanism, such as David Harvey, Milton Santos, Ermínia Maricato and Raquel Rolnik. Jesus' biographies are also explored, since the books that were analyzed have originated from her own journals. In a similar way, we also wish to understand the relationship between literature, memory, and reality from the perspective of academics such as Philipped Lejeune and Henri Bergson. Finally, we conducted a brief study on how Jesus' subaltern life impacted the the reception of her works, and how, through concise considerations, the editor's role influenced it. As a result, we verified that Carolina Maria de Jesus' books are representative of an exclusive urbanization process that perpetuates itself through practical and, mainly, ideological mechanisms.
Keywords: Carolina Maria de Jesus; geographical space; urbanization; literature; exclusion.

Lista de publicações:
Não há

Obs: Esta defesa será realizada exclusivamente através de videoconferência, caso tenha interesse em acompanhar, entre em contato com o orientador com pelo menos 24 horas de antecedência da data de realização.