Você está aqui: Página Inicial > Defesas > Mestrado - Jovanca Kamizi Ichikawa
conteúdo

Mestrado - Jovanca Kamizi Ichikawa

por dirppg-ct publicado 04/12/2020 10h18, última modificação 04/12/2020 10h18
O devir-monstro em O rosto de um outro, de Abe Kôbô
Quando
15/12/2020
de 14h00 até 17h00
(America/Sao_Paulo / UTC-300)
Onde
Via videoconferência
Pessoa de contato
Profa. Naira de Almeida Nascimento, Dra. - UTFPR
Participantes
Orientador(a): Profa. Naira de Almeida Nascimento, Dra. - UTFPR
Banca examinadora:
Presidente: Profa. Naira de Almeida Nascimento, Dra. - UTFPR
Profa. Márcia Hitomi Namekata, Dra. - UFPR
Profa. Anuschka Reichmann Lemos, Dra. - UTFPR
Adicionar evento ao calendário
iCal

Resumo: Publicado originalmente em 1964, O rosto de um outro, romance de Abe Kôbô, narra a história de um homem que perdeu seu rosto em um acidente de trabalho. A partir de então, a deformidade, a angústia em não se sentir mais pertencente à sociedade e, principalmente, o conflito com sua esposa, levam-no a construir uma máscara a partir do rosto de um outro. Em um primeiro momento, o leitor é convidado a ver esta personagem “sem rosto” como uma figura monstruosa, amargurada e egoísta, isso porque ele registra em seus manuscritos os mais profundos e complexos sentimentos agressivamente. Embora a obra seja marcada pelo rosto, pela máscara e pelo duplo, esta pesquisa buscou destacar o devir-monstro, por entender que o romance oportuniza uma leitura necessária sobre o anômalo, sobre o outro. Entende-se o devir-monstro como uma percepção real do personagem, daquilo que ele sente. Um modo de escapar de uma forma limitadora de si. Em vista disso, o presente estudo teve como objetivo compreender como a “perda” do rosto levou este indivíduo a outras percepções, e assim entender este liame como gatilho para o devir e o duplo que vão surgindo a partir das confissões e relatos que a personagem deixa em manuscritos direcionados a sua esposa. Para compor a discussão e análise da obra, foram utilizados os pressupostos de FREUD (1919); RANK (1925); ROSSET (1976); DELEUZE e GUATTARI (1977, 1980); COURTINE e HAROCHE (1988); LE BRETON (1992, 2015); GIL (1994). Fundamentando-se nestes autores construiu-se uma leitura tendo como aporte teórico os conceitos de rosto, máscara, devir e duplo. Ainda dentro desta narrativa, este estudo abordou três outros aspectos: a importância da linguagem escrita na obra, as transtextualidades que assinalam uma riqueza narrativa e o “pacto fantasmático”. Este último retoma ao autor, quando a narrativa fictícia é assombrada por fantasmas reveladores do indivíduo, e este podendo ser o próprio Abe. A metodologia utilizada foi a pesquisa descritiva de cunho bibliográfico, com uma abordagem qualitativa. Como resultado, o trabalho apresenta um homem desterritorializado que manifesta um devir-monstro e protagoniza um duplo, reconhecidamente estimulado por uma sociedade de aparências e julgamentos. Um “discurso do monstro” que levou, então, a uma reflexão sobre uma sociedade das máscaras.
Palavras-chave: Devir. Duplo. Literatura Japonesa. Máscara.

The becoming-monster in the The face of another, by Abe Kôbô.
Abstract:
Originally published in 1964, The face of another novel, by Abe Kôbô, tells the story of a man who lost his face in a work accident. Since then, the deformity, the anguish in not feeling part of society anymore and, mainly, the conflict with his wife, lead him to build a mask from the face of another. In a first moment, the reader is invited to see this "faceless" character as a monstrous, bitter and selfish figure, because he registers in his manuscripts the deepest and most complex feelings, aggressively. Although the work is marked by the face, by the mask and by the double, this research sought to highlight the becoming-monster, because it understood that the novel provides a necessary reading about the anomalous, about the other. The becoming-monster is understood as a real perception of the character, of what he feels. A way of escaping in a limiting shape of himself. In view of this, the present study aimed to understand how the "loss" of the face led this individual to other perceptions, and thus to understand this link as a trigger for the becoming and the double that arise from the confessions and accounts that the character leaves in manuscripts directed to his wife. To compose the discussion and analysis of the work, the assumptions used were from FREUD (1919); RANK (1925); ROSSET (1976); DELEUZE and GUATTARI (1977, 1980); COURTINE and HAROCHE (1988); LE BRETON (1992, 2015); GIL (1994). Based on these authors, a reading was constructed having as theoretical contribution the concepts of face, mask, becoming and double. Still within this narrative, this study approached three other aspects: the importance of written language in the work, the “transtextuality” that mark a rich narrative and the “phantasmagorical pact”. The latter resumes the author, when the fictional narrative is haunted by revealing ghosts of the individual, and this may be Abe himself. The methodology used was descriptive bibliographic research, with a qualitative approach. As a result, the work presents a “deterritorialized” man who manifests a becoming-monster and protagonizes a double, admittedly stimulated by a society of appearances and judgments. A "monster discourse" which then led to a reflection on a society of masks.
Keywords: Becoming. Double. Japanese Literature. Mask.


Lista de publicações:
Não há.

Obs: Esta defesa será realizada exclusivamente através de videoconferência, caso tenha interesse em acompanhar, entre em contato com o orientador com pelo menos 24 horas de antecedência da data de realização.