Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Geral > Aluna traz acessibilidade a documentos institucionais da UTFPR
conteúdo

Notícias

Aluna traz acessibilidade a documentos institucionais da UTFPR

Câmpus Londrina

Iniciativa faz parte do programa de Protagonismo Estudantil
publicado: 01/12/2020 16h14 última modificação: 01/12/2020 16h24
Aluno acessa canal pelo celular | Foto: Yanalya por Freepik

Aluno acessa canal pelo celular | Foto: Yanalya por Freepik

A estudante Fabiana Yamamoto do Câmpus Londrina buscou uma solução para tornar as normativas da UTFPR mais acessíveis para pessoas com deficiência.

A iniciativa envolveu a criação do canal Legislação Acessível da Universidade no YouTube, com áudio, legenda e interpretação para Língua Brasileira de Sinais (Libras), sob a orientação da professora Cristiane Rezzadori. “Percebemos em um rápido levantamento que faltava acessibilidade em relação aos documentos institucionais. Então, começamos este projeto. Foram oito meses dedicados para a redação e mais quatro para a execução e a finalização”, conta a discente.

O trabalhou contou com o apoio, para a interpretação para Libras, do professor André Coneglian e, para a gravação e edição do material, dos profissionais do Laboratório de Tecnologia Educacional da Universidade Estadual de Londrina (UEL): Pedro Ayrosa, Rafaela Boletti, Waldecyr Salvi, Natalia Godoi e Felipe Rostirolla. “Essas pessoas fizeram o projeto acontecer, em uma parceria sem nenhum custo financeiro”, detalha.

A iniciativa faz parte do programa de Protagonismo Estudantil da UTFPR, que incentiva a resolução de problemas locais para aproximar pessoas, melhorar o apoio pedagógico, promover atitudes solidárias ou expressões artísticas. “Acredito que o programa tem muito potencial de inovação dentro da Universidade, pois são é pensado por estudantes para outros”, conclui.

Mais sobre o Protagonismo Estudantil
O Programa visa fomentar iniciativas de alunos regulamente matriculados em curso técnico integrado, de graduação ou de pós-graduação da UTFPR, por meio de concessões de bolsas aos selecionados via edital, por um período de quatro meses. A ideia é incentivar a geração de soluções para a melhoria do ambiente acadêmico.