Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Geral > Divulgação Científica > Projeto é o primeiro passo para criar Cidade Inteligente
conteúdo

Notícias

Projeto é o primeiro passo para criar Cidade Inteligente

Toledo

publicado: 17/06/2019 10h06 última modificação: 17/06/2019 10h07
Imagem do lago de Toledo Foto: Prefeitura Toledo

Imagem do lago de Toledo Foto: Prefeitura Toledo

Através de um projeto de pesquisa realizado no Câmpus Toledo será possível criar uma “Cidade Inteligente” no local. Uma rede de longo alcance e baixa potência foi instalada no Câmpus para monitorar diversos dispositivos espalhados pela cidade. A ideia nasceu do projeto de Conclusão de Curso do aluno Jonas Rossato do curso de Tecnologia de Sistemas para Internet, e, agora, está sendo desenvolvido com o projeto de pesquisa e extensão "Disseminação da Tecnologia de Internet das Coisas no Oeste do PR", sob orientação do professor Edson Tavares de Camargo.

Uma 'Cidade Inteligente' é uma área urbana que usa diferentes tipos de 'Sensores Inteligentes', que é apoiado pelo conceito de 'Internet das Coisas' (IoT), ou seja, os diferentes tipos de sensores se comunicam e permitem coletar dados sobre o dia a dia das cidades com o objetivo de monitoramento e gerenciamento.

É possível obter dados sobre o tráfego e transporte, usinas de energia, redes de abastecimento de água, gerenciamento de resíduos, violações de segurança, qualidade de água etc. Além disso, disponibilizá-los em tempo real para gestores e cidadãos por meio da internet. Pode-se acompanhar em tempo real o trajeto da frota de coleta de lixo urbano, por exemplo.

Também é possível que os cidadãos possam conhecer o dia e horário da coleta de lixo em sua rua, assim como os gestores possam fiscalizar o cumprimento do contrato com a empresa responsável.

A rede instalada na UTFPR usa a tecnologia LoRaWan e sua abrangência pode alcançar de 6 a 10 km. Ela opera em uma faixa de frequência não licenciada, ou seja, não há necessidade de pagamento para sua utilização. Além disso, a tecnologia empregada permite que a bateria dos seus sensores dure anos sem a necessidade de troca ou recarga.

De acordo com o professor Edson Tavares, a implantação da rede é o primeiro passo. “É uma etapa para o desenvolvimento de soluções para melhorar a qualidade vida nas cidades”, destaca.

Todo o investimento para implantação da rede foi realizado pelo professor e seu aluno, mas abre caminho para a captação de recursos por meio de editais de fomento e de parcerias público-privadas.

A próxima etapa do trabalho é avaliar o alcance da rede, a qualidade do sinal e a taxa de perda de pacotes.