Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Geral > Divulgação Científica > Pesquisadores atuam na preservação do Rio do Campo
conteúdo

Notícias

Pesquisadores atuam na preservação do Rio do Campo

Campo Mourão

publicado: 11/03/2019 09h07 última modificação: 11/03/2019 09h10

O projeto “Rio do Campo Limpo” teve início em agosto do ano passado com diversas ações no Rio do Campo -, na região de Campo Mourão, e agora, já concentra diversas pesquisas no local.

A população, através da Associação dos Moradores do Jardim Araucária, Botânico I e II e Casali de Campo Mourão (bairros por onde o rio passa na área urbana), procurou a UTFPR para conhecer melhor o rio e o que poderia ser feito para conscientizar a população do seu entorno quanto ao não lançamento de resíduos no local.

“Inicialmente participamos junto com a comunidade dos mutirões de limpeza nas margens do rio e com palestras nas escolas. Hoje, o projeto cresceu, abordando diferentes ações”, explica a coordenadora do projeto, Luciane Vieira do Couto.

São realizadas pesquisas de monitoramento sazonal da qualidade da água do rio, incluindo índices de qualidade da água (IQA), análise de metais pesados e agrotóxicos; oficinas com os professores e alunos das escolas públicas municipais próximas ao rio; monitoramento através de drones para verificar o estado de conservação das margens do rio; e palestras em Educação ambiental dentro do Câmpus.

“O projeto conta com extensão e atividade de pesquisa uma vez que os alunos envolvidos podem aprender na prática as ações de monitoramento, controle da poluição, análise de resultados e gestão de bacias hidrográficas”, afirma a professora. 

Além de Luciane Vieira do Couto, o projeto é composto por outros três professores do departamento de Biodiversidade e Conservação da Natureza de Campo Mourão, Edivando Vitor do Couto, Karen Silvério Gois e Maria Cristina Halmeman. Também participam 10 alunos do curso de Engenharia Ambiental, sendo um bolsista do edital Projeto Destaque UTFPR, quando a proposta ficou em primeiro lugar entre projetos de todos os câmpus da instituição.

“O projeto terá continuidade e não tem prazo de finalização. Ele é apaixonante, pois que conseguimos levar a Universidade para perto da comunidade, e com a participação dos alunos, levando conhecimento e troca de experiências nas questões ambientais. Nossa intensão é expandi-lo com mais ações ambientais e para outras bacias hidrográficas”, completa.

Na última semana, os pesquisadores apresentaram o projeto a diretoria da Sanepar. “Por ser desenvolvido na área do manancial que abastece a cidade, levamos alguns resultados de análises e um projeto de expansão para outras bacia do Alto Ivaí Piquirí”, finaliza a professora.

O projeto possui o apoio da Promotoria do Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo de Campo Mourão (GAEMA), Associação dos Moradores do Jardim Araucária, Botânico I e II, Casali e Grupo Agroflorestar.