Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Geral > UTFPR cria núcleos regionais de compras públicas
conteúdo

Notícias

UTFPR cria núcleos regionais de compras públicas

Coplad

Regulamento das atividades do núcleos foi aprovado por unanimidade no Conselho de Planejamento e Administração.
publicado: 06/02/2021 08h45 última modificação: 24/02/2021 08h35
Compras públicas na UTFPR serão gerenciadas por núcleos regionais (Imagem: Freepik)

Compras públicas na UTFPR serão gerenciadas por núcleos regionais (Imagem: Freepik)

O Conselho de Planejamento e Administração da UTFPR (Coplad) aprovou nesta sexta-feira (5), por unanimidade, o Regulamento das Atividades dos Núcleos Regionais de Compras da Universidade, que institui uma nova dinâmica de compras na instituição com a criação de núcleos regionais.

A mudança está em consonância com a determinação do Ministério da Economia para que todas as entidades da administração direta, autárquica e fundacional realizassem um redimensionamentos das suas Unidades de Administração de Serviços Gerais (UASG). Confira como fica a distribuição dos núcleos regionais de compras da UTFPR, aprovada no Coplad:

I - Centro: Campo Mourão, Guarapuava e Ponta Grossa*.
II - Leste: Curitiba e Reitoria.
III - Norte: Apucarana, Cornélio Procópio* e Londrina.
IV - Oeste: Medianeira*, Santa Helena e Toledo.
V - Sudoeste: Dois Vizinhos, Francisco Beltrão e Pato Branco*.

*Em destaque, os câmpus gerenciadores do respectivo núcleo regional.

Segundo o documento aprovado, os processos licitatórios, independentemente da modalidade, serão realizados por servidores de qualquer câmpus dos núcleos regionais, a partir do perfil e código do câmpus gerenciador do respectivo núcleo regional. O regulamento mantém preservadas as autonomias administrativa, patrimonial e financeira dos câmpus da UTFPR.

O Plano de Centralização de Contratações Públicas foi instituído pela Portaria 13.623/2019, do Ministério da Economia. De acordo com o governo federal, o redimensionamento das UASGs de compras visa à promoção de um paradigma de menor pulverização das contratações públicas, contribuindo para maior economia de escala, menores custos de pedido e incremento do potencial de controle institucional e social.