Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Geral > UTFPR recebe R$ 208 mil para manutenção de três coleções biológicas
conteúdo

Notícias

UTFPR recebe R$ 208 mil para manutenção de três coleções biológicas

Fundação Araucária

publicado: 22/05/2020 15h13 última modificação: 22/05/2020 17h04
Exemplares do herbário de Campo Mourão | Foto: Decom

Exemplares do herbário de Campo Mourão | Foto: Decom

A UTFPR foi contemplada com R$ 208,5 mil para a consolidação da Rede Paranaense de Coleções Biológicas (Napi Taxonline). O recurso foi concedido pela Fundação Araucária para coleções de três câmpus.

Com isso, os herbários, de Campo Mourão e Dois Vizinhos, vão receber R$ 61 mil cada, enquanto a coleção microbiológica, de Ponta Grossa, deve ganhar R$ 86,5 mil. Para a professora Juliana Bittencourt, as três coleções compõem um grupo que ganhou ainda mais relevância em 2018. “Após o incêndio do Museu Nacional do Rio de Janeiro, a rede de coleções biológicas do estado é a maior e mais importante do Brasil”.

O objetivo do investimento é investir na manutenção das estruturas e melhorar as condições para a realização das atividades. “Do montante financeiro que será destinado à UTFPR, teremos a concessão de bolsas e um valor anual para suprimentos”, detalha a docente.

As três coleções prestam suporte a atividades de ensino em cursos de graduação e pós-graduação, além de apoiar o desenvolvimento de pesquisas científicas. Os herbários da UTFPR possuem um acervo de plantas, algas, fungos e briófitas. São mais de 16 mil amostras em Campo Mourão e mais de 5 mil espécimes em Dois Vizinhos. Ambos atuam em questões ligadas à conservação ambiental e ecológica. Já a Coleção Microbiológica, de Ponta Grossa, mantém vários microrganismos, como bactérias, leveduras e fungos filamentosos, para fins biotecnológicos e para a preservação do patrimônio genético nacional.

Mais sobre a Rede
Por meio do financiamento da Fundação Araucária, a Rede Paranaense de Coleções Biológicas visa promover o incremento da estrutura física e garantir a segurança das coleções, além de buscar a certificação do material científico depositado.