Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Guarapuava > COVID19
conteúdo

Notícias

COVID19

publicado: 02/06/2020 15h02 última modificação: 02/06/2020 15h25
Pesquisadores do Câmpus Guarapuava tem patente aprovada para Balão Hermétido ce Ventilação Não Invasiva

Um grupo de pesquisadores do Câmpus Guarapuava, composto pelos professores Viviane Teleginski Mazur, Maurício Marlon Mazur, Sílvia do Nascimento Rosa e da Técnica de Laboratório Adriana e Silva da Costa, teve uma patente depositada no INPI - Instituto Nacional de Propriedade Intelectual, para o desenvolvimento de um  Balão Hermétido de Ventilação Não Invasiva, para ser utilizado no combate à COVID-19.

A ideia iniciou-se com a participação da professora Viviane em um grupo aberto da rede social Facebook, onde pesquisadores e entusiastas buscam a manufatura de NIV Helmet (Noninvasive Ventilation Helmet - Capacete de Ventilação Não Invasiva) de baixo custo. Neste grupo há troca de informações, mas cada grupo local desenvolve seus próprios protótipos de forma individual. 

A equipe conta com o apoio da médica Fernanda Borges e da fisioterapeuta intensivista Maria Elisa Borazo, do Hospital São Vicente de Paulo, que prestam auxílio à equipe de pesquisadores da UTFPR no desenvolvimento, testes e validação do equipamento. Empresas de Guarapuava também tem sido parceiras no desenvolvimento, como a Show Modas que fez o empréstimo de manequins para testes de laboratório, a GP Toldos que realizou soldas plásticas necessárias para a montagem, e a Frenobras que também apoia realizando soldas plásticas e futuramente fará a parte de injeção das conexões.

_DSC0132.JPG

Teste do Balão Hermétido ce Ventilação Não Invasiva no Hospital São Vicente de Paulo

O capacete pode ser utilizado em pacientes da COVID-19 que estejam em um estágio anterior a necessidade de entubação, pois auxilia o paciente a respirar por gerar uma maior pressão em seu interior. Além disso, atua protegendo a equipe médica que tem contato constante com pacientes contaminados, pois a dispersão de gotículas no ar é considerada negligenciável, uma vez que o capacete  isola e filtra o ar.

O projeto teve sua patente depositada e a equipe agora trabalha para obter a aprovação da ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e busca parcerias para a produção e distribuição para os hospitais referência no tratamento da COVID-19.

Assista ao modelo em funcionamento:

Ações do documento