Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Pato Branco > Jubileu de Prata

Notícias

Jubileu de Prata

1994-2019 - 25 anos de Educação Pública Federal no Sudoeste do Paraná
publicado: 19/02/2019 16h59 última modificação: 19/02/2019 16h59

A Educação Superior em âmbito Federal no Sudoeste do Paraná tem muito a comemorar em 2019 em que completa 25 anos. Em 1992 iniciou-se o que seria, certamente, o maior marco da história do Ensino Superior na região. Num primeiro momento, a autorização de funcionamento, pelo Ministério da Educação, da Unidade de Ensino Descentralizada de Pato Branco, do Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná – CEFET de Pato Branco. E no ano seguinte, para dar início à história do Ensino Superior Federal e Gratuito na região, efetivou-se a transferência do patrimônio da Fundação de Ensino Superior de Pato Branco – FUNESP ao CEFET-PR, no dia 14 de dezembro. Um merecido presente à sociedade patobranquense no dia em que se comemora o aniversário do município.

Desta forma, a partir 1994, além de ofertar Ensino Profissionalizante Integrado de Nível de Segundo Grau (equivalente, hoje, a Ensino Médio), o CEFET local passou a ofertar, também, os cursos superiores, absorvidos da FUNESP. Neste processo, o número de professores saltou de 35 em 1993 para 171 em 1995. No mesmo período, os estudantes passaram de 442 para 2.100. Só por estes dados, já se pode observar a importância e a grandeza que viria a ter a instituição para a cidade e regiões Sudoeste do Paraná e Oeste de Santa Catarina.

Muitas mudanças aconteceram neste período. A mais relevante, sem dúvida, foi a transformação do CEFET em Universidade Tecnológica Federal do Paraná – UTFPR, em 2005. Os dados abaixo demonstram um pouco da evolução quantitativa e qualitativa.

Professores – evolução da quantidade e nível de formação

Formação

Ano

1995

2017

Variação %

Graduação/Aperfeiçoamento

56

6*

(-) 89,2%

Especialização

92

19

(-) 79,3%

Mestrado

22

115

422,7%

Doutorado

01

194

19.300%

TOTAL

171

334

95,3%

Fonte: Relatório Geral Cefet PB 1995 e Relatório de Gestão UTPFR 2017.

* Professore substitutos (contratos temporários)

Importante destacar que, além da elevação da quantidade de professores, que quase dobrou de 1995 a 2017, a capacitação destes apresenta um salto gigantesco em termos qualitativos. Os números recentes, mostram que cerca de 60% deles possuem doutorado e, perto de 35%, Mestrado, perfazendo um total de 95% dos professores com tais qualificações.

Cursos de Ensino Superior ofertados

Ano

Cursos

1995

Administração; Ciências Contábeis; Agronomia; Processamento de Dados; Ciências com Habilitação em Matemática; Letras.

2017

Administração; Agronomia; Ciências Contábeis; Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas; Tecnologia em Manutenção Industrial; Engenharia Civil; Engenharia de Computação; Engenharia Elétrica; Engenharia Mecânica; Licenciatura em Letras Português-Inglês; Licenciatura em Matemática; Química.

Fonte: Relatório Geral Cefet PB 1995 e Relatório de Gestão UTPFR 2017.

 

 Alunos

Nível

Ano

1995

2017

2º Grau

1.142

142

Superior

958

3.362

Mestrado

-

371

Doutorado

-

58

Fonte: Relatório de Gestão Cefet PB 1995 e Relatório de Gestão UTPFR 2017.

 

O número de estudantes no Ensino Superior aumentou mais de 250% entre 1995 a 2017. Para além do destaque deste percentual, há que se observar que atualmente a Universidade atende estudantes do Brasil inteiro, através do Sistema de Seleção Unificada – Sisu, criado pelo Ministério da Educação que permite, através do ENEM, a inscrição em qualquer Instituição de Ensino Superior do país que adote o sistema.

Apenas dois anos após a transformação em Universidade, em 2007, deu-se o início do primeiro Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu, na área de Agronomia. Hoje, são 8 Programas: Engenharia Elétrica; Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos; Engenharia de Produção e Sistemas; Engenharia Civil; Letras; Matemática em Rede Nacional; Agronomia e Desenvolvimento Regional. Estes dois últimos oferecem, também o curso de Doutorado.

A internacionalização da Educação Superior é uma realidade cada vez mais presente no Câmpus. Os programas de mobilidade estudantil buscam inserir os estudantes e professores em diferentes continentes objetivando a complementação na formação e na busca de pesquisas conjuntas. Em 2017 o Câmpus enviou um aluno para Suécia, 2 para a Argentina, 2 para a Alemanha e 23 para Portugal. Destes últimos, 19 obtiveram Dupla Diplomação, ou seja, foram diplomados no Brasil e em Portugal. No mesmo ano, foram recebidos 4 alunos portugueses, 3 deles com Dupla Diplomação, 1 da Venezuela e outros 2 da Argentina.

A UTFPR cresceu e apareceu. Oferece uma estrutura física e de pessoal de excelência. São mais de 500.000 m² de área total, com cerca de 52 mil m² de área construída, 88 salas de aula, 90 laboratórios, sendo 19 de informática, 2 auditórios, ginásio de esportes, ampla biblioteca e restaurante universitário.

Alicerçada no tripé Educação, Pesquisa e Extensão, a UTFPR volta-se, agora, para o futuro, através de seu planejamento estratégico que visa consolidar, melhorar e ampliar os serviços oferecidos e a integração com a sociedade, a quem de fato ela pertence.

Parabéns, UTFPR e Comunidade, pelos seus 25 anos de Educação Superior Pública Federal.

Texto produzido pelo GEU/UTFPR - Grupo de Estudo sobre Universidade. (Marlize Rubin Oliveira, Coordenadora; Antônio Mazzetti; Franciele Clara Peloso; Giovanna Pezarico e Nilson de Farias).