Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > Coleta seletiva adotada no Câmpus Londrina vira manual para outras instituições

Notícias

Coleta seletiva adotada no Câmpus Londrina vira manual para outras instituições

Meio Ambiente

publicado: 06/06/2018 12h05 última modificação: 06/06/2018 12h05
Kátia Valéria Prates e Tatiane Dal Bosco, organizadoras do Manual (Foto: Decom)

Kátia Valéria Prates e Tatiane Dal Bosco, organizadoras do Manual (Foto: Decom)

O Câmpus Londrina é um exemplo de como ações envolvendo toda a comunidade podem dar certo. O projeto Coleta Seletiva Solidária foi criado no ano de 2012 por uma comissão do Câmpus com o objetivo de implantar esta coleta em uma instituição de ensino. A proposta deu tão certo que, em 2017, foi publicado o “Manual para instalação e manutenção da coleta seletiva solidária: a experiência da UTFPR Câmpus Londrina”, feito por professoras do departamento ambiental, junto à Editora Paco, em sistema de Open Access.

A iniciativa começou com um trabalho de sensibilização da comunidade. E isso já demonstrava que seria uma grande dificuldade, já que o público da instituição é itinerante e possui entrada de pessoas semestralmente. Assim, as estratégias de abordagem precisavam ser pensadas para que a sensibilização fosse contínua e permanente.

O primeiro passo foi a criação de uma identidade do projeto através de uma marca própria. Os alunos ainda nomearam um mascote da Comissão: o “Resildo”, presente em todas as ações do projeto. Com a identidade criada, as estratégias de divulgação foram divididas em três grupos: comunicação visual, uso de mídias eletrônicas e ações formativas e instrucionais.

Já com relação às ações, cartilhas foram entregues nas atividades de recepção de calouros e de novos servidores, palestras passaram a serem realizadas para a comunidade em geral, além de diálogos e treinamentos com a equipe terceirizada responsável pela limpeza e manutenção do Câmpus e do RU. Outra iniciativa de sucesso foram as gincanas socioambientais e campanhas para a redução da geração de resíduos (copos descartáveis, papel e resíduos de alimentos no RU).

Após implantado todo o processo, a preocupação do Câmpus foi com a melhoria contínua da qualidade dos resíduos que seriam doados às cooperativas parceiras. Para isso, foi desenvolvida uma ficha com indicadores da qualidade de segregação para dar um feedback a todos os setores quanto ao material selecionado e se os procedimentos adotados foram corretos. Cada ficha recebe um selo de inspeção como Bom, Regular ou Ruim. E, semestralmente, todos os relatórios são analisados novamente resultando em uma certificação para cada setor neste período como: Diamante, Ouro, Prata e Bronze.

O manual está disponível gratuitamente nas seguintes plataformas: AmazonKoboiTunesGoogle Play.

Semana do Meio Ambiente 2018

Diversos câmpus da UTFPR realizam ao longo desta semana uma série de atividades em alusão à Semana Mundial do Meio Ambiente. Para este ano, a temática central das atividade é 'Acabe com a Poluição Plástica', proposta pela ONU Meio Ambiente como forma de chamar a atenção da sociedade para reduzir a produção e o consumo excessivo de produtos plásticos. Clique aqui e confira  a programação completa.