Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > Divulgação Científica > Desempenho no Facebook pode não indicar resultado nas urnas

Notícias

Desempenho no Facebook pode não indicar resultado nas urnas

Eleições

publicado: 22/11/2017 13h54 última modificação: 15/12/2017 08h47
Camila Mancio, professora Edna Miola e Nayane Cardoso também apresentaram a pesquisa no Congresso Nacional da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom)

Camila Mancio, professora Edna Miola e Nayane Cardoso também apresentaram a pesquisa no Congresso Nacional da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom)

Uma pesquisa realizada na UTFPR, durante as eleições para prefeito de Curitiba em 2016, apontou que o desempenho em termos de engajamento das publicações nas páginas dos candidatos no Facebook não espelhou o desempenho nas urnas. Esse é um dos resultados do trabalho “Facebook e eleições municipais: estratégias racionais e emocionais na campanha a prefeito de Curitiba em 2016”, escolhido o melhor do XXII Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da UTFPR (Sicite 2017) na categoria apresentação oral da área Sociais Aplicadas.

O trabalho, apresentado pela aluna do Bacharelado em Comunicação Organizacional (Câmpus Curitiba) Nayane Cardoso, faz parte de um projeto desenvolvido pelo Grupo de Pesquisa Discurso, Comunicação e Democracia (Discord). De acordo com a coordenadora do Discord e orientadora de Nayane, professora Edna Miola, os objetivos do estudo são avaliar quais foram os perfis de uso do Facebook por parte dos candidatos e os níveis de engajamento obtidos junto ao público de acordo com tais perfis.

Para isso, foram analisadas comparativamente variáveis quantitativas, como volume de publicação, distribuição temporal e tipo e volume de engajamento obtido. “Além disso, analisamos qualitativamente todos os 2.701 posts publicados pelos oito candidatos”, acrescenta Edna. Na análise qualitativa, o intuito foi identificar quais os objetivos comunicacionais de cada publicação, quais os apelos racionais acionados e quais as estratégias emocionais e de memorização utilizadas. “Essas categorias também foram avaliadas de acordo com o engajamento gerado junto ao público”, completa a pesquisadora.

Após as análises das páginas no Facebook de todos os candidatos à Prefeitura de Curitiba no primeiro turno das eleições de 2016, o grupo concluiu que, além de o desempenho na rede social não espelhar o desempenho nas urnas, as estratégias afinadas com os critérios de relevância do Facebook coincidiram parcialmente com maior engajamento do público e que nem todos os candidatos priorizaram o tipo de conteúdo mais favorecido pela plataforma. Segundo Edna Miola, os dados coletados ainda estão sendo processados e novos resultados deverão ser obtidos.

Conquistando cada vez mais usuários, a comunicação em redes digitais é uma das mais recentes estratégias de comunicação eleitoral e tem características diversas do Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral no rádio e na TV, que vem perdendo audiência. Esse fenômeno foi um dos motivos que levou o Discord a realizar a pesquisa. “Seja para conquistar votos ou promover causas, seja para angariar financiamento (uma vez que as regras para as doações de campanha têm se tornado restritivas), o uso de sites de redes sociais tem se intensificado na comunicação eleitoral”, argumenta Edna.

Além de Nayane e de Edna, participam da pesquisa os professores Fernanda Cavassana de Carvalho (UTFPR) e Francisco Paulo Jamil Marques (UFPR) e os estudantes de Comunicação Organizacional Camila Mancio, Luciano de Marchi Mello e Gabriela Mayumi Ykeuti Silva.

Para saber mais sobre as pesquisas do Discord, acesse a página do grupo no Facebook.