Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > Divulgação Científica > Pesquisadores alertam para contaminação na bacia do Rio Jirau Alto

Notícias

Pesquisadores alertam para contaminação na bacia do Rio Jirau Alto

Dois Vizinhos

publicado: 04/12/2018 09h45 última modificação: 04/12/2018 09h45
Pesquisadores realizam testes na água colhida da Bacia

Pesquisadores realizam testes na água colhida da Bacia

Uma pesquisa realizada por servidores do Câmpus Dois Vizinhos traz uma alerta importante para a população residente da bacia do Rio Jirau Alto, na região Sudoeste do Paraná. Segundo os pesquisadores, todo o rio apresenta indícios de contaminação por substâncias potencialmente mutagênicas (que podem causam mutação) e genotóxicas (que podem quebram o DNA) e, esta situação se acentua no verão.

A pesquisa foi coordenada pelos professores Elton Oliveira e Nédia Ghisi, do curso de Ciências Biológicas, com auxílio de alunos de graduação e de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas da UTFPR. Pesquisas semelhantes já haviam sido realizadas por estes pesquisadores nas cidades de Campo Mourão e Maringá, região Norte do Paraná.

Nos estudos, durante um ano e meio, foram avaliados os peixes que habitam o rio. Nestes animais foram testadas as taxas de mutação e danos genéticos, nas células de sangue e fígado. As pesquisas foram feitas em quatro pontos ao longo do rio, desde a nascente até a foz.

Os pesquisadores esperavam que as condições da cabeceira do rio estivessem mais preservadas, já que ali é realizada a coleta de água para a população urbana. No entanto, verificou-se que todo o rio apresenta indícios de contaminação por substâncias com potencial mutagênico e genotóxico.

Os pesquisadores relatam que esta é uma situação preocupante, já que a população humana que faz uso desta água pode estar exposta aos mesmos riscos impelidos a estes animais. Pesquisas anteriores já haviam demonstrado preocupação com a qualidade do rio Jirau, castigado pela supressão da mata ciliar das áreas de preservação permanente e reserva legal, e também pelo assoreamento dos córregos e nascentes que o abastecem.

Ao final do projeto, os resultados foram publicados na revista científica internacional ‘Bulletin of Environmental Contamination and Toxicology’ (Boletim de Contaminação Ambiental e Toxicologia) com o artigo intitulado “Waterborn Genotoxicity in Southern Brazil Using Astyanax bifasciatus (Pisces: Teleostei)”, ("Genotoxicidade por águas no Sul do Brasil usando Astyanax bifasciatus (Peixes: Teleostei)).