Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Reitoria > Mais de 3 mil e 800 alunos são contemplados pelo auxílio estudantil

Notícias

Mais de 3 mil e 800 alunos são contemplados pelo auxílio estudantil

Bolsas

publicado: 02/05/2018 11h43 última modificação: 02/05/2018 11h43

A primeira etapa do programa de bolsas de auxílio estudantil da UTFPR contemplou um total de 3.835 alunos dos 13 câmpus da Universidade. A todos os estudantes que tiverem a inscrição deferida foi garantido, no mínimo, o auxílio alimentação.

Lista atualizada dos contemplados no auxílio estudantil

A garantia da alimentação aos estudantes com inscrição deferida foi uma das conquistas do edital deste ano. A avaliação é do assessor para Assuntos Estudantis da UTFPR, Carlos Henrique Mariano. "Em 2017, os estudantes ordenados a partir do índice de vulnerabilidade eram contemplados com todos os benefícios solicitados até o orçamento se esgotar. Com esse critério, dos 5.210 inscritos em 2017, apenas 2.065 foram contemplados e ficamos com uma lista de espera de 2.337 sem receber nenhum auxilio", comenta.

O novo formato do edital possibilitou contemplar com o auxílio alimentação todos os 3.825 estudantes que tiveram a inscrição deferida. Desse total, 1.181 foram contemplados com o auxílio moradia; 2.113, auxílio básico; e outros 41 com o auxílio alimentação em dinheiro, pago para estudantes da sede Neoville do Câmpus Curitiba, a única da UTFPR que ainda não possui Restaurante Universitário, como também para os estudantes em dupla diplomação.

"Sendo assim, no processo de 2018 as listas de espera estão concentradas somente nos benefícios básico e moradia. Ao contrário de termos 2.337 estudantes em lista sem receber nenhum benefício, agora, a todos os estudantes deferidos foi garantida a alimentação", destaca o assessor. 

Critérios de seleção

Para a escolha dos bolsistas, a Assae adota um índice de vulnerabilidade distinto entre os benefícios que varia de 45 a 125 pontos, determinados por um cálculo que considera as restrições orçamentárias. "Essa ponderação é necessária porque temos uma demanda crescente pelos auxílios e maior do que a nossa disponibilidade de orçamento, congelado há três anos", explica Mariano. A avaliação é feita pelo corpo técnico da Assessoria e dos núcleos de Assistência Estudantil dos câmpus (Nuapes), auxiliados pelo sistema de classificação e contemplação desenvolvido pela Diretoria de Gestão de Tecnologia da Informação da Universidade (DIRGTI).