Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Geral > Divulgação Científica > Pesquisa premiada pode mudar forma de projetar linhas de produção de petróleo
conteúdo

Notícias

Pesquisa premiada pode mudar forma de projetar linhas de produção de petróleo

Prêmio Capes de Tese

A tese foi defendida em dezembro de 2020 e agora concorre ao Grande Prêmio Capes, em outubro
publicado: 16/09/2021 11h04 última modificação: 20/09/2021 09h15

Uma tese desenvolvida por um pesquisador do Campus Curitiba da UTFPR apresentou importantes avanços no gerenciamento de um dos principais problemas da indústria do petróleo: o bloqueio de linhas de produção devido à formação de um cristal chamado hidrato de gás. A pesquisa foi uma das vencedoras do Prêmio Capes de Tese 2021, divulgado neste mês de setembro.

Com o título “Abordagem Multiescala de Hidratos de Gás considerando Estrutura, Cinética de Crescimento, Aglomeração e Transportabilidade em Condições de Escoamento Multifásico”, Carlos Lange Bassani teve seu trabalho escolhido na categoria Engenharias III. Através de uma modelagem matemática e física, foi possível fornecer respostas aos engenheiros das companhias de petróleo de como estes bloqueios podem ser prevenidos.

A pesquisa indica que, mesmo com a formação destes cristais, existem condições nas quais é possível realizar a produção de forma segura.

Os estudos começaram em 2017, após o convênio de duplo doutorado assinado entre a UTFPR e a Mines Saint-Etienne, na França, que fez com que o Carlos realizasse o curso nas duas instituições. A primeira parte da tese foi desenvolvida no SPIN Centre for Chemical Engineering da Mines Saint-Etienne, na França, com a orientação da professora Ana Cameirão. A segunda parte da tese foi desenvolvida no Núcleo de Escoamento Multifásico (Nuem), da UTFPR, com a orientação do professor Rigoberto E.M. Morales.

Capturar.JPG "Este gráfico poderá mudar completamente a forma como os engenheiros projetam linhas de produção de petróleo em cenários mais complexos, como por exemplo o pré-Sal no Brasil, minimizando custos de produção, e riscos ambientais e à segurança dos funcionários”, afirma o orientador Rigoberto.

O estudo ainda teve a colaboração de Amadeu K. Sum, professor do Phases to Flow Laboratory (P2F) do Colorado School of Mines nos Estados Unidos.

Carlos Lange Bassani foi aluno de Engenharia Industrial Mecânica no Campus Curitiba de 2009 a 2014, fez o seu mestrado no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica e Materiais (PPGEM), também sob orientação do professor Rigoberto, e recebeu o convite para realizar o seu doutorado em parceria com a instituição francesa, cuja defesa aconteceu no final de 2020.

A tese de Carlos Bassani também já foi agraciada com o Prêmio UTFPR de Teses & Dissertações 2021, na modalidade de Melhor Tese de Engenharia defendidas em 2019 e 2020, e selecionada como uma das cinco finalistas do Prix de Thèse SFGP 2021 (Prêmio de Tese da Sociedade Francesa de Engenharia Química), que ocorrerá no dia 21 de outubro de 2021.

Campus Toledo
O professor do Campus Toledo, Eduardo Henrique Monteiro Pena, e seu orientador do doutorado da UFPR, Eduardo Cunha de Almeida, também foram um dos ganhadores do Prêmio CAPES de Tese 2021, na área de Ciência da Computação (pelo Programa de Pós-Graduação em Informática da UFPR) com a tese Descoberta e aplicação de dependências de dados.

Os estudos apresentam um sistema para detectar violações de dependências de forma eficiente para melhorar a consistência de dados. “Mostramos que os sistemas de gerenciamento de banco de dados comerciais testados começam a apresentar baixo desempenho para conjuntos de dados relativamente pequenos e alguns tipos de restrições de negação. Nosso sistema, por sua vez, apresenta execuções até três vezes mais rápidas do que as de outras soluções relacionadas, especialmente para conjuntos de dados maiores e um grande número de violações identificadas”, explica.

Prêmio Capes

Este ano foi realizada a 16ª edição do Prêmio Capes de Tese com 49 trabalhos selecionados e outros 92 indicados para menção honrosa. Em cada área de avaliação é escolhida uma tese de doutorado (defendida no Brasil em 2020) para o prêmio principal e até duas para receberem a menção honrosa.

Os autores selecionados receberão bolsa de até um ano para estágio pós-doutoral em instituição nacional, certificado e medalha. Seus orientadores ganharão um prêmio para participação em evento acadêmico-científico nacional, no valor de até R$3 mil, além de certificado que também será oferecido aos coorientadores e ao Programa de Pós-Graduação (PPG) no qual a tese foi defendida.

Entre os 49 escolhidos na primeira etapa, três serão agraciados com o Grande Prêmio, um por cada Colégio de Avaliação: Ciências da Vida, Humanidades e Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinar.