Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Geral > Divulgação Científica > Projeto de pesquisadora já ajudou mais de 500 alunos
conteúdo

Notícias

Projeto de pesquisadora já ajudou mais de 500 alunos

Letramento Digital

Alunos de graduação de Ponta Grossa são selecionados para auxiliar no ensino dos recursos digitais em escolas parceiras
publicado: 12/04/2022 10h28 última modificação: 12/04/2022 11h34
Foto: Freepik

Foto: Freepik

Despertar em crianças o interesse pelo aprendizado é o desafio de muitos educadores. Através de recursos digitais, a educação acaba se tornando mais atrativa para elas. Com essa proposta, a professora da Campus Ponta Grossa, Simone Nasser Matos, está à frente do projeto Letramento Digital destinado a crianças ou pessoas com algum tipo de deficiência.

Com metodologias e estratégias lúdicas para ensinar os recursos digitais a este público, o projeto, que começou em 2008, já atendeu 534 alunos de instituições parceiras da região e teve a participação de 109 alunos da graduação.

Segundo a coordenadora Simone Matos, alunos de graduação do curso de Ciência da Computação são selecionados para auxiliar no ensino dos recursos digitais, como por exemplo, desenvolvendo jogos educativos, livros digitais, ou uso de vídeos-aulas gamificadas para serem utilizadas em escolas parceiras da região.

“A inclusão digital na fase inicial do desenvolvimento de uma criança ou na fase adulta de pessoas com deficiência pode despertar o gosto pela tecnologia e, por meio de atividades lúdicas usando recursos digitais, promover a fixação e retenção dos conteúdos vistos em sala de aula”, afirma a professora. “Por exemplo, em uma aula sobre figuras geométricas, pode ser usado um jogo que avalie coordenação motora do aluno no uso de periféricos como o mouse ou o teclado”, complementa.

Ao todo, nos 12 anos do projeto, já foram criados 1655 materiais de aula, 86 vídeos, dois livros digitais, seis conteúdos para jogos.

“O estímulo do uso de recursos digitais, de um modo geral, proporciona o desenvolvimento da linguagem, do pensamento, da concentração e da atenção. O letramento digital para as crianças ou pessoas com deficiência intelectual é análogo a alfabetização no que diz respeito a sua inclusão social”, completa Simone.

Atualmente, o Letramento Digital está em parceria com a escola Dra. Zilda Arns na modalidade de Educação Especial, em Ponta Grossa.

Os recursos são usados para fixar os conteúdos da Proposta Curricular Pedagógica nas instituições parceiras. Os assuntos explorados estão relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e estabelecidos na Agenda 2030 da ONU como sustentabilidade, segurança alimentar, saúde, bem-estar, educação inclusiva, entre outros. Segundo a coordenadora, para este ano, o projeto vem trabalhando com o tema Educação Financeira com os alunos.

Em fevereiro deste ano, o projeto recebeu uma homenagem com a entrega da placa do título de Menção Honrosa, reconhecido com destaque entre as Boas Práticas de Instituições de Ensino Superior na 5ª edição do Prêmio ODS. A divulgação do resultado dos projetos premiados foi anunciada no final do ano passado.