Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Geral > Divulgação Científica > Software de pesquisador auxilia no controle de pragas e doenças da soja
conteúdo

Notícias

Software de pesquisador auxilia no controle de pragas e doenças da soja

Câmpus Cornélio Procópio

Aplicativo mostra momento adequado para a pulverização
publicado: 17/05/2021 22h17 última modificação: 17/05/2021 22h17
Previsão é usar o aplicativo em outras culturas (Foto: IDR)

Previsão é usar o aplicativo em outras culturas (Foto: IDR)

Um software desenvolvido por pesquisadores da UTFPR está auxiliando a reduzir o uso de inseticidas e fungicidas nas lavouras de soja. Tudo começou em 2017, quando representantes do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná -Iapar-Emater (IDR-Paraná) procuraram a Universidade apresentando as dificuldades no acompanhamento de análise e dados do manejo integrado de pragas e doenças da soja (Manejo Integrado de Pragas - MIP e Manejo Integrado de Doenças - MID). O primeiro contato foi em uma reunião entre os professores do Câmpus Dois Vizinhos, Almir Gnoatto, Alfredo de Gouvea e Gabriel Costa Silva, e representantes do IDR, Edivan Possamai, Nelson Harger, entre outros.

Transferido para o Câmpus Cornélio Procópio, o pesquisador Gabriel Silva firmou uma parceria com o IDR e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), além do apoio da Embrapa Soja, para o desenvolvimento de um software, que teve inicio no primeiro semestre de 2018.

O primeiro protótipo do aplicativo foi testado em 2019, na safra 2019/2020. “Os resultados foram surpreendentes e o acompanhamento do MIP/MID melhorou significativamente de acordo com os comentários dos técnicos do IDR”, explica o professor Gabriel.

Com o bom resultado, a responsável por coordenar os treinamentos de MIP no Senar-PR, Flaviane Marcolin de Medeiros, também se interessou pelo aplicativo e o Senar o adotou na safra atual, 2020/2021, em mais de 400 propriedades rurais no Paraná. 

O aplicativo monitora a ocorrência de pragas e doenças nas lavouras de soja. Os dados são coletados em campo pelos técnicos do IDR ou instrutores do Senar e esses dados são inseridos no aplicativo,  o qual permite o acompanhamento por meio de um painel de controle. O painel gera várias informações úteis para apoiar a tomada de decisão do técnico/instrutor.

“A ocorrência de pragas é informada no aplicativo, que permite analisar os dados e auxiliar os técnicos/instrutores em relação ao momento em que a pulverização de agrotóxicos deve ser realizada. Como a pulverização só acontece no momento necessário, os produtores usam menos agrotóxicos, reduzindo o custo da safra e beneficiando o meio ambiente”, completa o pesquisador Gabriel Silva.

Com o uso do software, a eficiência no acompanhamento do MIP/MID aumentou consideravelmente. “O processo de consolidação dos dados chegava a durar seis meses, e hoje é feito em tempo real. A eficácia também melhorou, uma vez que o aplicativo valida os dados já no lançamento, o que evita dados incorretos, além de revelar possíveis problemas na execução do MIP/MID em uma determinada lavoura”, finaliza. 

Além dos resultados relevantes para o IDR e o Senar, o aplicativo também tem sido um instrumento de ensino na universidade. Segundo o professor Gabriel, desde o início do projeto, em 2018, cinco alunos da UTFPR fizeram seus Trabalhos de Conclusão de Cursos (TCCs) baseados nesse projeto, além de seis alunos de graduação que participaram como bolsistas ou voluntários nas pesquisas, e um aluno do mestrado profissional em informática que participa no momento. Atualmente, o projeto conta com duas bolsas financiadas pelo SENAR, além de uma bolsa do Programa Institucional de Iniciação Tecnológica e Inovação (PIVITI) da UTFPR. 

O projeto está em expansão e a previsão é a de que técnicos que trabalham com outras culturas adotem o aplicativo no próximo ano. “No momento, estamos trabalhando para a extensão do aplicativo para outras culturas, como feijão e milho, e também em uma versão melhorada para dispositivos móveis”, destaca o professor.

Entendo o MIP e o MID

O Manejo Integrado de Pragas (MIP) e o Manejo Integrado de Doenças (MID) são usados para eliminar as aplicações preventivas de agrotóxicos e estabelecer parâmetros para que os produtos sejam usados apenas quando houver risco para as lavouras.

Segundo os técnicos do IDR, os resultados vêm demonstrando uma redução de até 50% nas aplicações de inseticidas nas lavouras com o MIP. Já quem adota o MID, consegue diminuir em 35% o uso de fungicidas, mantendo a produtividade das lavouras.